Photo

depredando:

Cubanos comemoram 54 anos do triunfo da Revolução

Em 1º de janeiro de 1959, de um dos balcões do edifício, Fidel Castro anunciou o triunfo do Exército Rebelde sobre as tropas do governo tirânico de Fulgêncio Batista, a partir do qual começaram as transformações revolucionárias no país.

Saiba mais

Source: depredando
Photo
Lenin, 1923, URSS 
90 anos atrás, entre 23 de dezembro de 1923 e 4 de janeiro de 1923, Lenin escreveu a “Carta ao XII Congresso”, logo conhecida como seu testamento, onde propunha a retirada de Josef Stalin do cargo de secretário geral do partido comunista da URSS. Stalin, exatamente aquele que viria a ser a figura máxima da traição da revolução de 1917, burocratizando o partido e o governo, instalando um totalitarismo brutal com perseguições e assassinatos aos velhos bolcheviques revolucionários, destruindo a Internacional Comunista fundada por Lenin e arquitetando derrotas contra a revolução socialista mundial durante vários anos.

Lenin, 1923, URSS 

90 anos atrás, entre 23 de dezembro de 1923 e 4 de janeiro de 1923, Lenin escreveu a “Carta ao XII Congresso”, logo conhecida como seu testamento, onde propunha a retirada de Josef Stalin do cargo de secretário geral do partido comunista da URSS. 

Stalin, exatamente aquele que viria a ser a figura máxima da traição da revolução de 1917, burocratizando o partido e o governo, instalando um totalitarismo brutal com perseguições e assassinatos aos velhos bolcheviques revolucionários, destruindo a Internacional Comunista fundada por Lenin e arquitetando derrotas contra a revolução socialista mundial durante vários anos.

Photo

Revolução Alemã, 1918, Alemanha


A Revolução Alemã foi uma revolta de carácter civil e ideológica, teve início no final da Primeira Guerra Mundial e teve seu fim de forma pacifica em 1919, com o estabelecimento da república de Weimar.

O estopim

Próximo ao Final Primeira Guerra Mundial, Almirantes da Marinha Alemã ansiavam a última batalha do canal da mancha contra a Marinha Britânica, Porém, Marinheiros de Wilhelmshaven cansados da guerra e do cenário da população faminta se recusam a entrar a bordo dos navios de Guerra, no dia seguinte o mesmo aconteceu em Kiel, Esse evento marcou o inicio da Revolução Alemã.

Em 9 de novembro acontecia em Berlim, mais de 100.000 operários ocuparam as ruas, que cada vez mais tinha seu número incrementado com mais e mais operários.  Tais operários esperavam uma repressão violenta porém sua determinação era maior que seu medo e avançavam para o quartel onde soldados seu encorporaram ao movimento e ajudaram a erguer uma bandeira vermelha, porém esse foi só o inicio.

Formação de um Governo Socialista Provisório


Com pressão de massas reunidas em frente ao Reichstag, prisioneiros foram libertados pelo Proletariado Revolucionário entre eles Karl Liebknecht, após o evento, em frente ao palácio do imperador já se reuniam 100.000 operários, logo, se obteve a proclamação de uma República Socialista. Delegados de fábricas ocupavam uma sala do Reichstag, tal conselho nomeou o governo socialista provisório sobre a direção de Elbert que mais tarde iria assinar um acordo secreto com o alto comando militar pretendendo acabar com revolução.

 Guerra Civil Alemã


A burguesia o temer o movimento proletário e um cenário semelhante da Russia se mobilizaram contra a revolução houveram 3 ofensivas:

1° -No dia 6 de dezembro, a sede do jornal spartaquista Rote Fahne foi atacada; e logo depois uma manifestação de Spartacus foi atacada de surpresa perto do centro da cidade; houve uma tentativa de deter e assassinar Liebknecht. Em reação houve as primeiras manifestações em solidariedade com o Spartakusbund em Berlin e greves na indústria pesada na Alta-Silésia e em Ruhr.

2° Um assalto da divisão de marinheiros armados que ocupavam o arsenal em Berlim. A presença desta constituía uma mera provocação à burguesia, pois tinham trazido a revolução do litoral para a capital. Campanhas das mídias preparando a ação militar acusaram os marinheiros de serem assassinos, ladrões e Spartaquistas. Assim que os marinheiros foram atacados, numerosos operários, mulheres e filhos, despertados pelo barulho chegaram espontaneamente para apoiá-los. Muitos entre eles, sem nenhuma arma, ficaram entre os soldados e os alvos de seus tiros, os marinheiros. Sua coragem e capacidade de persuasão fizeram com que os soldados baixassem suas armas e tomassem as de seus oficiais. No dia seguinte, em Berlim, houve a manifestação mais massiva desde o início da revolução, desta vez contra o SPD.

A Emboscada Contra-Revolucionária

Os chefes revolucionários se reuniram para dar objetivos a essa massa de 500 000 operários nas ruas de Berlim. Participaram 70 delegados de fábrica (esquerda do USPD e próximos ao KPD), Karl Liebknecht e Wilhelm Pieck pelo KPD e, mais tarde, alguns chefes da USPD. Tinham recebido relatórios informando que algumas guarnições militares tinham expressado sua vontade em participar da insurreição armada. Os chefes revolucionários estavam indecisos. Chegaram outras informações dizendo que o bairro “dos jornais”, e em particular o Vorwärts, tinha sido ocupado. Aí perderam a cabeça. De repente Karl Liebknecht se posicionou a favor da tomada do poder. A greve geral foi votada e houve uma grande maioria a favor de derrubar o governo e manter a ocupação do bairro dos jornais (só seis votaram contra). Além disso, fundaram um Comitê provisório de iniciativa revolucionária. O proletariado tinha caído na armadilha. Logo foi comprovado que os relatórios recebidos eram falsos.

A direção do KPD ficou horrorizada quando soube da insurreição proposta. Neste instante, era claro que as advertências de Rosa Luxemburgo contra uma insurreção prematura não tinham sido entendidas. O que podia ser feito para libertar o proletariado desta armadilha? O KPD logo encontrou uma postura comum. Até agora tinha sido contra uma insurreição prematura. Já que o erro foi cometido, julgaram que deviam apoiar totalmente a classe nesta orientação. Só a tomada do poder em Berlim podia doravante impedir um derramamento de sangue.

Apesar dos operários terem evoluído para a esquerda desde 1918 e desconfiarem cada vez mais da social-democracia isso não implicava que a liderança política estava claramente entre as mãos do KPD. Não havia tal liderança revolucionaria clara e reconhecida do proletariado e isso constituía uma fraqueza crucial para ele. Na realidade a liderança estava nas mãos dos centristas da USPD. Sua política de oscilações confundia os operários, especialmente quando o Comitê provisório de iniciativa revolucionária (do qual os membros do KPD tinham saído) iniciou negociações com o SPD em lugar de combatê-lo.

Chegou o momento que era esperado pela reação há muito tempo. O terror branco atacou com força através da artilharia, de assassinatos, atos de violência contra os operários e soldados, maltratando mulheres e crianças. Além disso, a contra-revolução lançou rapidamente a caça sistemática contra Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht. Mas a batalha não estava ainda definida.

Diante da inflação, das demissões, do desemprego massivo, as greves massivas se estenderam no país inteiro, particularmente na Alta-Silesia, na Renânia, em Westphalia (ao longo do Ruhr) e na Alemanha central. A região do Ruhr especificamente era muito combativa com milhões de mineiros e operários siderúrgicos implicados nas greves e outras ações.

Enquanto a greve de massa se expandia no país inteiro, a Berlim revolucionária lutava pela sua sobrevivência.

No dia 15 de janeiro, Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht foram detidos e brutalmente assassinados pelos Corpos Francos. No dia seguinte a mídia disseminava a mentira segundo a qual Rosa Luxemburgo foi linchada pela multidão exasperada e que Liebknecht foi morto quando tentou fugir. Alguns dias mais tarde, já estava claro que tudo isso era mentira. Quando os operários tomaram conhecimento do assassinato foram tomados por um sentimento de horror. No dia 25 de janeiro, o carrasco Noske do SPD pôde proclamar o estado de guerra em Berlim sem ter medo das reações do proletariado. O SPD instalou uma ditadura militar.

A luta pelo prosseguimento da revolução foi derrotada

Diante da repressão na Renânia e Westphalia, a greve retomou vigor em todo país até que as guarnições militares como nas cidades de Erfurt e Merseburg deram explicitamente seu apoio aos operários revolucionários. Nesse instante, a greve tinha alcançado seu auge. A única possibilidade de passar para uma etapa superior era que os operários de Berlim se juntassem a greve. No dia 25 de fevereiro a greve geral era total e o governo tinha fugido para a pequena cidade de Weimar. Depois de ter assistido aos atos sangrentos do SPD em Berlim e em outros locais, os operários não acreditavam mais nos seus apelos pela paz.

O SPD tentou impedir a greve em Berlim por todos os meios. O conselho geral do soviete hesitava. A decisão foi finalmente tomada pelos próprios operários que enviaram delegados das grandes fábricas para informar ao conselho que todas as fábricas já tinham votado a greve. A greve geral se expandiu na cidade inteira. Diante desta situação, os delegados do SPD no conselho operário e de soldados votaram a favor da revolução, contra a linha de seu partido.

Foi um momento trágico: o proletariado de Berlim conseguiu mais uma vez se levantar para seguir seus irmãos e irmãs de classe, porém tarde demais. A greve na Alemanha central, que tinha esperado tanto por um sinal de Berlim, estava acabando. O trauma de Janeiro 1919 tinha sido fatal. A hora da contra-revolução tinha chegado. O terror branco foi desencadeado no país inteiro, mais particularmente em Berlim. Milhares de operários revolucionários e revolucionárias foram caçados e assassinados. Entre eles, Jogiches. (Fonte: http://pt.internationalism.org/ICCOnline/2009/Ha_noventa_anos_a_revolucao_alema)

Video

Recomendo!

Video

Os Ombros Suportam o Mundo

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus. 
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco. 
Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos. 
Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação. 

- Carlos Drummond de Andrade

Quote

"Se o capitalismo é incapaz de satisfazer as reivindicações que surgem infalivelmente dos males que ele mesmo engendrou, então que morra!"

- Trotsky
Photo

Revolução Russa Pt.3, Guerra Civil, 1918, Russia

Com a Revolução de Outubro, fim do governo provisório, Falha do golpe militar de Kornilov e pela vitória Bolchevique ainda faltava uma batalha iminente contra burgueses e contra-revolucionários.

Burgueses, contra-revolucionários, tzaristas, czaristas começaram a se organizar e formar milicias que já ultrapassavam um pouco mais de 3 mil homens essa milicia levou a formação do exército branco, forças como liberalistas, socialistas moderados, dissidentes dos socialistas revolucionários, descontentes com centralização política e governos ditatoriais que acreditavam ter se instalado em moscou, pessoas que tiveram propriedades nacionalizadas e coletivadas (fábricas, fazendas, bancos e comércios). A igreja Ortodoxa Russa apoiou o exercito Branco por que temia a instalação de uma estado ateu e que perdesse sua influência.

Em combates na Ucrânia, o exercito Branco obtiveram sucesso até fevereiro de 1918 quando pela reorganização dos bolcheviques o território foi recuperado, mas outro problema assombrava a primeira experiência marxista do século XX, o avanço das tropas Alemãs em terras russa devido a 1° Guerra Mundial, com isso houve um fato importante para o avanço russo a assinatura do tratado de Brest-Litovsky que retirava a Russia da Guerra, infelizmente tal decisão não agradou aqueles que se opunha a retirada da Russia da guerra, o que levou hostilidade na Tchecoslováquia contra o exército vermelho o que levou a ocupação Tcheca na margem leste do rio Volga.

Com a nomeação de Trotsky como comissário de Guerra levou o exército vermelho ao triunfo em suas campanhas na retomada da parte leste do rio Volga e da vitória sobre o exército Branco nas regiões de Kazan e Sinbirsk. Entretanto a maior a ofensiva Branca ainda estaria por vir, Tropas Brancas liderada por Yudenich tomaram Gatchina que se localiza apenas alguns kilometros da capital Petrogrado. Tal ameaça levou Trotsky a organizar a defesa da capital russa, ocorreram um número extraordinário de alistamentos, trabalhadores das indústria agora estava a frente do exército Vermelho, o que levou a retirada das tropas do local e da Estônia.

Com as frustrações do exército Branco levou a sua ultima grande medida a construção de uma base em Omsk e solicitação de ajuda estrangeira para quem gostaria de desmantelar o sistema socialistas obtiveram ajuda dos britânicos, franceses, japoneses e norte-americanos que lhe enviaram 200.000 homens para dar apoio, enquanto isso o exército vermelho cada vez mais se fortalecia antigos fiéis servidores do czarismo se encorporaram ao exército, Trotsky definiu um sistema rigoroso de quem traísse as forças armadas, cerca de 500.000 foram incorporados.

Batalhas entre as duas forças se prolongou 1920, com vitória vermelha, o exército Vermelha a comando de Trotsky triunfou em 1919 na retomada de Tomsk, 1920 na recondução do Turquestão, em novembro 1920 os últimos remanescentes Brancos abandonavam a Criméia e, assim foi posto um fim a Guerra Civil.

Video

resuminho

Photo

Revolução Russa Pt.2, Revolução de Outubro ou Revolução Bolchevique,1917.


A Revolução de Outubro ou Bolchevique foi a segunda fase da revolução russa, Foi a primeira revolução comunista marxista do Século XX.

Situação politica 

Desde a Revolução de 1917 dois governos paralelos O Governo Provisório e o Soviete de Pretrogrado, Houve manifestações contra a Guerra em 20 e 21 de abril, em primeiro de maio o comitê central, permitiu que seus membros participassem do Governo Provisório, Seis socialistas se tornaram parte do gabinete, e Kerensky se tornou ministro da guerra. A partir daí, os bolcheviques se tornaram a oposição “oficial”, enquanto que os agrupamentos socialistas participantes do governo se tornaram alvo das críticas direcionadas ao governo.

O Fortalecimento do Partido Bolchevique


Os Bolcheviques aumentaram expressivamente sua propaganda, aumentando triplamente a tiragem do Pravda (jornal Bolchevique) em pouco tempo aumentando levemente sua influência.

Em 3 e 5 houve tentativas de insurreição liderada pelos bolcheviques sem sucesso. O Comitê Central adotou resoluções contra a prisão e julgamento de bolcheviques, sentindo a fraqueza do partido (no momento) foram postos em liberdade

20 de agosto com o fortalecimento que vinha ganho os Bolcheviques ganharam um terço dos votos nas eleições municipais.O soviete perde força, suas atividades diminuem. enquanto os partidos socialista abandonam o soviete o partido bolchevique ganha força e aumenta sua presença. 25 de Setembro os Bolchevique ganham maioria na Secção Trabalhista do Soviete do PetrogradoTrotsky foi eleito presidente.

O General Kornilov

O General Javr Kornilov então Comandante-em-Chefe do Exército Russo que junto com toda a pequena burguesia russa acreditava que a Russia estava se degradando junto com a honra e o orgulho do exército russo. Ele acreditava que Lênin estava Junto com “espiões alemães” e que deviam ser enforcados, sovietes deveriam ser encerrados e o governo provisório reestruturado.

Em 9 de Setembro o foi demitido por Kerensky, Kornilov respondeu a ação voltando cossacos e chechenos contra petrogrado, Kerensky sem poder sobre uma força armada procurou ajuda aos bolcheviques e a Guarda Vermelha, isso demonstrou a crescente influência bolchevique.

O movimento popular se organizou para defender sua capital, propagandeou nos acampamentos de Kornilov, que foi efetivo contra seu golpe, Cossacos desertaram Kornilov e golpe teve seu fim sem uma gota de sangue derramada.

A Marca permanente na História: A Revolução Bolchevique!


24 de Outubro Forças Contra-revolucionárias anunciaram medidas de proteção do governo, a CMR Mandou Grupos Armados para tomar agências telegrafas e baixar a pontes Rio Neva

O Fim do Governo Provisório é anunciado pelo CMR ás 10h do dia 25 de Outubro fato escrito por Lênin, Transferência de Poder ao Soviete de Petrogrado.

Houvem uma sessão extraordinária do Soviete de Petrogrado foi presidida por Trotsky. Ela estava cheia de deputados bolcheviques e socialistas de esquerda. O Segundo Congresso de Sovietes abriu naquela noite, escolhendo um Conselho de Comissários do Povo composto por três mencheviques e 21 bolcheviques e socialistas de esquerda, e que formaria a base de um novo governo. O Comitê Executivo do Soviete de Petrogrado rejeitou a decisão daquele congresso e convocou os sovietes e o exército para defender a Revolução.

Na noite do dia 26 o Congresso aprovou o Decreto da Paz, propondo a retirada imediada da Rússia da Primeira Guerra, e Decreto da Terra, que propunha a Abolição da Propriedade Privada e a redistribuição de terras entre os camponeses.

Photo

Revolução Russa Pt.I, A Revolução de Fevereiro, 1917.


A revolução de fevereiro é considerada a primeira fase da Revolução Russa, foi o resultado da revolta popular contra ao então Czar Nicolau II e sua autocracia e desastrosa participação do país da Primeira Guerra Mundial, essa revolta levou a  o país a um regime democrático e republicano, que surgia apartir de uma aliança Liberais e Socialistas.

A humilhante participação russa na primeira guerra mundial.


Inicialmente a Russia teve pequenas vitórias contra Áustro-Hungria em 1914, mas logo a péssima condições de armamento e equipamentos do exército russo manteve-se evidente, Em 1915 esse evidencia tornou Catastroficamente evidente quando as tropas alemã confrontaram o as forças russas, a tropa alemã extremamente melhor armada e uma poderosa artilharia, foram esmagadoras contra o exército russo tanto que ao final de 1916 as baixas russas chegavam a 1,6 a 1,8 milhões, 2 milhões de prisioneiros e 1 milhão de desaparecidos, logo, informações sobre o exércitos denunciavam a péssima condição, soldados careciam de comida, botas, munições e armas.

 Inicio da inquietação, greves e dia das mulheres.

em fevereiro de 1917, a falta de alimento levou a distúrbios em toda a capital, Petrogrado, a principal fábrica de Petrogrado, a Usina Putilov, anunciou greve em reação todos grevistas com demitidos.Em 23 de fevereiro, Uma série da passeatas aconteceram por ocasião do Dia Internacional das Mulheres, Trabalhadoras Têxteis ocuparam ruas e apedrejaram janelas das demais fabricas para chamar cada vez mais operários, agora eram milhares e gritavam: Abaixo a fome!, Pão para Trabalhadores. Houve saqueamento de uma grande padaria, o movimento não teve repressão. após esse inicio os dias que seguiram só aumentavam a revolta, tropas se recusavam a reprimir e o Czar apenas Ignorava a situação.

O governo provisório e o primeiro soviete do petrogrado


Em 31 de Fevereiro chegou o grande dia milhares trabalhadores e soldados com trapos vermelhos em suas vestimentas tomavam as ruas em direção ao Palácio da Tauride,onde Kerensky um jovem advogado socialista recebeu, 2 comitês foram formados em diferentes locais do palácio, um deles se tornaria o Governo Provisório e o outro O Primeiro Soviete, que elegeu um comitê executivo permanente formado por representantes de todos os agrupamentos socialistas.

Em 2 de março o Czar assina sua abdicação, logo, o cenário russo seguia com dois governos paralelos O governo provisório, composto principalmente por classe média e favorável a guerra e Soviete de Deputados dos Trabalhadores e Soldadosque queria instituir a Jornada de 8 horas de trabalho, terra para os camponeses, um exército com disciplina voluntária e oficiais eleitos democraticamente, o fim da guerra, e separação da Igreja do Estado.